quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Sobre Testes de Proficiência

Hello there,

Esse é um post que eu preparei pra esclarecer praticamente todas as dúvidas de como foi o processo pra mim, começando pela prova de proficiência. A intenção é ajudar os próximos editais que se assemelharem ao meu em matéria de burocracia. O meu foi meio que o primeiro que finalmente encaixou na maior parte do idealizado pelo governo, acredito. Preencheu todas as vagas oferecidas, cortou cursos de áreas cinzentas (apesar de eu não achar que isso seja bom, mas acho que devia ter tido uns decisão logo sobre aceitar ou não. E também não concordo que tenham decidido pelo "não").
Eu falo hoje sobre o primeiro tópico dos 20 e tantos assuntos que separei. Minha ideia é falar sobre tudo até pisar no UK, e postar tudo antes do meu embarque, quando eu começo a falar da chegada e do pós chegada - acho que faz sentido pra mim assim.

Bom, para concorrer a uma vaga em qualquer país anglófono do CsF, não só, obviamente, UK, você precisa provar que domina o Inglês, ou que pelo menos sabe contar até 10 no idioma oficial do mundo, já que o Governo abriu as pernas.
As provas de proficiência de maior abrangência e, portanto, sobre as quais falarei exclusivamente, são o IELTS e o TOEFL. Vou focar muito mais no IELTS pois foi o exame que prestei e o que eu de fato conheci em termos de estrutura de prova, tanto nos simulados quanto efetivamente prestando o teste.



As provas de proficiência, ao contrário do que muita gente pensa, não te diz se você foi "aprovado" ou "reprovado". Ela apenas avalia seu inglês em diversos aspectos e te atribui uma nota, um nível (de proficiência, dããã) que o CsF e as universidades estrangeiras vão usar para te selecionar.


Vou começar pelo TOEFL por ter menos coisa para falar.
O TOEFL é um exame de proficiência americano, que avalia 4 bandas: Listening (compreensão auditiva), Speaking (comunicação verbal), Reading (compreensão na leitura) e Writing (comunicação escrita). Cada banda é avaliada de 0 a 30, somando um total de score de 120.
A prova é feita em computadores em uma sala específica onde ficam vários candidatos, cada um no seu. Dura cerca de 4h30, se não me engano.
O Listening é feito com fones de ouvido, o que garante uma qualidade legal do áudio.
O Speaking é feito gravando sua voz no computador, de acordo com o que o enunciado pede. Você tem 60 segundos pra gravar uma resposta ao que se pede e nao mais que isso. Se errar, nao pare. Sim, é horrível.
Reading e Writing é o de sempre. Textos para ler e questões de compreensão, e enunciados com textos-base para você se inspirar e escrever seus próprios pequenos textos. Confesso que sobre essa parte da prova, tenho conhecimento quase nulo.
O resultado do TOEFL é prometido ser divulgado em duas semanas, e chega pelo correio logo depois. Só que o certificado oficial é postado dos Estados Unidos, o que causa, e causou incontáveis vezes no edital passado, diga-se de passagem, atraso ou extravio do documento.
Portanto, se realmente prefere o TOEFL por se sentir melhor lendo e ouvindo textos mais com sotaque americano e TEM TEMPO DE SOBRA antes da deadline para aplicar para o programa, ai vale o TOEFL. Mas se você já está no meio do processo só dependendo da proficiência pra fechar e submeter sua inscrição, TOEFL não dá margem pra você arriscar, é muito difícil chegar em tempo.

Uma coisa importante: a prova do TOEFL tem dois tipos, o iBT e iTP. O correto é o iBT, Internet Based Test, o teste feito pela internet, em um computador. O outro é feito no papel e não avalia o quesito Speaking, portanto não aceito por quase nenhuma universidade do CsF. Digo "quase" nenhuma porque alguns lugares do edital da coreia do Sul, por exemplo, aceitam o iTP e o TOEIC, um outro exame de inglês também feito pela ETS.
Portanto, ao se candidatar ao teste, escolha o TOEFL iBT.

E lembrando que o CsF é o causador das altas temporadas na hora de tirar a proficiência. Todo mundo precisa e só tiram com o intuito de aplicar para o programa, então não tem muito tempo, em boa parte das vezes, de estudar bastante ou esperar bastante pelo resultado. É partir pra guerra de datas e achar uma conveniente para você.


Agora sobre o IELTS...
É um teste criado e gerenciamento pela University of Cambridge, do Reino Unido mesmo, então é um teste britânico.

É dividido em duas etapas, que são aplicadas no mesmo dia se para candidatos de fora da cidade de aplicação da prova: as etapas são o Written Test (Teste Escrito) e o Spoken Test (Teste Falado).

O Spoken vem primeiro. Avalia somente o Speaking mesmo. É uma sala privada: você e um examinador. Se você aplica em São Paulo, sede do British Council, você tem grandes chances de fazer o Speaking com um examinador nativo, britânico. Foi meu caso e, nossa, eu poderia ouvir o senhor falar a manhã inteira, tamanha a fluidez, a elegância e a dicção britânicas.

O Speaking dura em média 12 a 15 minutos e é dividido em três Tasks (Tarefas). Ele pergunta se você se importa se ele gravar sua voz e posiciona um gravador digital e pequenininho na mesa, e você nem nota mais.
A Task 1 é uma introdução pessoal. Perguntas objetivas e respostas mais objetivas ainda: seu nome, se trabalha, estuda e o quê, onde e com quem mora, o que gosta de fazer, etc. É a tarefa que dura menos tempo, em torno de 1 a 3 minutos.
A Task 2 é o começo de assunto mais abstrato, mas sempre de conhecimento universal. Ele não vai perguntar sua opinião sobre a Queda do Muro de Berlim, mas suas cores favoritas (meu caso). Mais se assemelha ao início de uma conversa e, nesse momento, você já treme menos. Ele perguntou sobre minhas cores preferidas, a cor preferida dos meus amigos (não fazia ideia como responder e simplesmente inventei, como sugerido nos muitos guias oficiais do IELTS, o teste jamais vai levar em conta a veracidade dos fatos mas como você se comunica mesmo. Se você escrever na redação a maior bobagem da vida, eles não podem fazer nada, se cumprir o pedido quanto ao assunto e souber se expressar).
Task 3, que dura um pouco mais, consistia no examinador te dar um assunto X, que no meu caso foi TV Programmes e me deu um papel e um lápis. Ele então leu 4 questões que ele gostaria que meu texto abrangesse. Me deu o papel que ele leu e 60 segundos para rascunhar o que eu poderia falar nos próximos 2min ininterruptamente. O papel pedia meu programa de TV preferido, e porquê. Se eu assistia muita TV, se eu aconselharia o programa que eu assistia e se, na minha opinião, a TV de modo geral era responsável pelo comportamento violento de algum jovens.
Ele me disse pra eu começar a falar que ele não me interromperia a menos que eu ultrapassasse 2 minutos. Mas que não era pra me preocupar pois não me prejudicaria. Era só para manter eles sob controle do tempo (famosa pontualidade Britânica. Até que tinha, mesmo) e garantir que não houvesse atrasos nas próximas avaliações pros outros candidatos.
Falei lá as coisas...

Ele terminou, agradeceu cordialmente e me desejou boa prova mais tarde.
Saí e tinha mó coffee-break caprichado esperando a gente. Mas eu tava tão extasiado pela adrenalina que esqueci de pegar pra minha mãe e irmão que estavam lá embaixo no carro fritando no calor de Sampa.

No Written Test, o meu foi ao meio dia, começamos pelo Listening, que durou apenas 15minutos, no máximo. Era para ser tocado no som ambiente, segundo as normas do IELTS mas a Unesp tava com problemas técnicos nas salas e tivemos que ouvir no microsystem e foi horrível. Além do ar condicionado desligado também, no pico do verão em dezembro.
Portas abertas + barulho de civilização de São Paulo + vento por ser a cobertura do prédio + som de microsystem adaptados com caixinhas de som de computador + auditório grande + minha mesa a mais distante na lateral = minha nota do Listening foi a menor das bandas...
O áudio tinha sotaque de todo tipo: americano, canadense, australiano, britânico e INDIANO-MEUDEUSQUEINFERNO.

Em seguida fizemos o Reading, a prova mais cansativa na minha opinião. Durou 60 minutos cronometrados em três relógios sincronizados e espalhados pela sala, já que não pode entrar nem com relógio no pulso.
Eram três textos até bem grandes, com perguntas de interpretação de texto. Os textos eram fáceis mais as perguntas iam aumentando a dificuldade gradativamente e o pior, era proporcional ao crescente cansaço.

E por fim o Writing, dois textos, um menor e um maior, também durou 60 minutos. O assunto também era de domínio público e pedia sua opinião sobre algumas coisas. Fiz uma pequena cagada pois escrevi uma palavra achando que significa uma coisa e era completamente diferente. Mas enfim, fui até que bem..

Também vale ressaltar que o IELTS também tem dois tipos, o General Training e o Academic, que como o nome do primeiro já sugere é para treinamento. Ele não tem NENHUM valor para o CsF, sendo, portanto, necessário, para o candidato aplicar para o programa, o Academic.

O IELTS é feito num sábado, o resultado é divulgado sempre em uma sexta-feira, exatos 13 dias depois, pela internet e postado nos Correios no mesmo dia, na semana seguinte já deve chegar. O exame sai de São Paulo o que faz chegar muito mais rápido e com mais certeza de chegar inteiro!

Meu overall foi 7.0, o que é considerado fluente pelo IELTS, e mais que suficiente para qualquer universidade do Reino Unido exceto Oxford (se oferecesse). Até Cambridge aceitaria, se tivesse vagas na Graduação pelo CsF, então 7 é uma meta muito sensata se você não quer ter preocupações quanto ao inglês.

Existem Links como esses do 4shared, SkyDrive e Google Drive (que já já vou atualizar aqui) que você pode baixar conteúdo de estudo para as provas. Tem simulados e os arquivos do Listening. 
É mais do que recomendado fazer os simulados por conta do costume com a estrutura da prova. Ao fazê-los, de preferência cronometrando, você vai se assustar de como o tempo é corrido e mas primeiras tentativas não vai dar tempo e você vai desesperar. Basta fazer mais alguns tendo em mente o tempo e você vai estar preparado.

São provas, na minha opinião, fáceis, mas que não se pode chegar e descobrir como funciona na hora, não é?

Para aplicar para o IELTS, basta seguir as instruções do site Take IELTS e pagar R$440,00 por transferência bancária.
Para o TOEFL, que custa mais ou menos a mesma coisa, só que o equivalente em dólares, no site deles.

Minha dica é: faça o IELTS! Não só pro durar 2h menos que o TOEFL, mas também pelo infles britânico ser mais fácil de ler, sem dúvida, ainda que as pessoas tenham dificuldades ao falar (o que não é problema para eles avaliar sotaque americano, desde que seja um sotaque bom de americano, ou qualquer lugar que fala inglês), mas também pelo fato maior de todos de demorar exatos 13 dias e mais alguns pra chegar na sua casa, pontualidade britânica, de novo!!

É isso, gente, os tópicos são grande mesmo mas nada que um Ctrl+F pra achar aquele termo que você precisa saber e está perdido no texto. Também dá pra usar a busca (A LUPA - O RETORNO) no cabeçalho do blog..
Lembrando que qualquer sugestão, xingamento, elogio, pode mandar pelo menu Contato.

Best Wishes °o°

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...